[Crítica] Game of Thrones: 6×01 – The Red Woman

[Crítica] Game of Thrones: 6x01 - The Red Woman
A noite é escura e cheia de… GENTE! O que foi aquilo? A sexta temporada de Game of Thrones começou e já trouxe algumas cenas chocantes. 

Passamos um ano especulando sobre o futuro de Jon Snow (Ele morreu ou não?) e depois desse episódio… teremos que esperar pelo menos mais uma semana para ter alguma certeza.
O episódio já começou com Davos (Liam Cunningham) descobrindo o corpo de Jon Snow (Kit Harington) na neve. Ele e os fiéis membros da Patrulha da Noite que restaram levam o corpo de Snow para o quarto. Sansa (Sophie Turner) e Theon (Alfie Allen) escapam dos Bolton e encontram Brienne (Gwendoline Christie) e Podrick (Daniel Portman). Ainda bem, né? Finalmente Brienne conseguiu cumprir sua promessa! Já dá até pra esquecer a agonia de vê-la saindo de seu posto bem quando Sansa pediu ajuda ao acender a vela no fim da temporada passada.

As Serpentes de Areia e Ellaria (Indira Varma) tomam Dorne, matando o Príncipe Doran (Alexander Siddig), Areo Hotah e Trystane (Toby Sebastian). Falando nesse último… que cena foi essa?! A cena foi chocante, sim, mas esse núcleo de Dorne segue sendo o que menos me desperta interesse. Quem sabe com Ellaria e as Serpentes de Areia no comando eu ache o núcleo melhor de assistir…

O episódio fez um belo trabalho em pelo menos pincelar a história de cada um dos núcleos. E apesar de Jon Snow permanecer como um corpo morto, o final misterioso de Melisandre (Carice van Houten) pode sugerir que ele não ficará assim. O tanto de tempo que seu corpo aparece também sugere que aquilo será mais do que uma simples narrativa de seu funeral.

O episódio não foi extremamente memorável. Foi bom, mas serviu mais para “arrumar o campo” e preparar o ponto de partida de cada personagem para o resto da temporada. Brienne encontra Sansa e faz seu juramento. Cersei (Lena Headey) e Jaime (Nikolaj Coster-Waldau) planejam vingança por Myrcella (Aimee Richardson). Tyrion (Peter Dinklage) e Varys (Conleth Hill) começam a pensar sobre como salvar Meereen. Daenerys (Emilia Clarke) deixa claro com quem os Dothraki estão lidando. Arya é forçada a abraçar sua cegueira e começar a treinar a ser uma assassina mesmo sem visão. Com essas “introduções”, já podemos vislumbrar uma ótima temporada vindo por aí.

Uma ausência notável no episódio foi Bran. Ele não apareceu na quinta temporada, mas já sabemos que voltará a ser personagem recorrente nessa. Imagino que o veremos semana que vem, não é?

Mas o grande destaque ficou por conta de Melisandre. O nome do episódio, “A Mulher Vermelha” em inglês, se referia a ela. Quando o título do episódio foi anunciado, a maioria imaginou que se referia a Melisandre fazendo alguma mágica com sacrifício para fazer Jon Snow voltar ao mundo dos vivos. Não foi isso, mas tivemos uma grande surpresa com a personagem, nada a ver com Snow.

Como entender a imagem final, com Melisandre se transformando numa mulher idosa após tirar sua roupa e seu colar. Ela sempre se disfarçou, imaginamos. Será que as recentes mortes de Stannis, Snow e Shireen a fizeram perder a fé no Senhor da Luz? Não temos resposta até agora. Só sabemos que ela tirou o colar e perdeu a aparência jovem que conhecíamos.

Não foi um episódio perfeito e extremamente empolgante, mas conseguiu abrir bem a temporada e mostrar todos os personagens – talvez muito pouco da maioria deles, mas teremos várias semanas para nos aprofundarmos em cada história a partir de agora. Deixando os acontecimentos de Dorne de lado (não consigo, gente!), “The Red Woman” acaba numa boa nota.

Vale lembrar que essa será a primeira temporada em que a série ultrapassou os romances de George RR Martin.

PS: Alguém mais notou o formato de dragão na poça de sangue de Jon Snow? Comecem as teorias.

Nota: 3.5/5